Buscador
Categoria: Economia

Impostometro e orçamento Brasil 2011

Impostometro e orçamento Brasil 2011

Eu sei, você sabe, todo mundo sabe, mas só para ficar o registro, o Impostômetro bateu ontem a marca de 1 trilhão de reais de impostos pagos por nós, os contribuintes. E de ontem até agora, 14:10 já foram mais 5 bilhões de reais.

E é por isso que matérias como essa do Terra me deixam intrigado. Segundo essa matéria vemos:

– Para 2011, o Governo tem o grande DESAFIO e SACRIFÍCIO de economizar 50 bi de reais (13 dias de impostos)

– No último ano do Governo Lula, economizaram 21,8 bi de reais (6 dias de impostos de hoje)

– Serão destinados 71 bi de reais para a saúde (18 dias de impostos)

– Para a educação vão 54 bi de reais (14 dias de impostos)

– Gasto com pessoal é de 200 bi de reais (52 dias de impostos)

E os outros 287 dias, para onde são destinados?

Solução para a falta de produtividade no trabalho

Solução para a falta de produtividade no trabalho

Há mais de três anos, eu costumava publicar soluções para nossos problemas humanitários. Eram solução para a fome coreana, solução para a previdência social, solução para o trânsito e outros.

Pois bem, venho com uma ótima solução para a falta de produtividade no trabalho.

Agora a pouco tempo, uma conhecida minha postou essa publicação no facebook:

Muito embora já vimos dezenas de charges e ilustrações similares e ou semelhantes, me veio um lapso de genialidade. Vejam só:  Esse desenho demonstra claramente como o final de semana acaba conosco enquanto os dias úteis trabalhados nos reenergizam!

Por isso vamos começar a campanha no twitter e facebook para nossos políticos tomarem vergonha na cara e fazerem algo por nós: #QueremosMaisDiasÚteisPorSemana!

O refrigerante mais caro do mundo

O refrigerante mais caro do mundo

Ontem (19/08/2011) eu e alguns amigos fomos a uma padaria próxima ao serviço almoçar.
Comemos e como estávemos em muitas pessoas, pedimos uma Coca-Cola de 2 Litros.
Até aí tudo bem.
O refrigerante foi colocado em minha comanda, quando fui efetuar o pagamento, a conta deu R$ 26,00 e alguma coisa. Achei que havia algum erro, pois no momento que pesei o prato havia dado por volta de R$ 14,00.
A atendente confirmou: uma refeição de R$ 14,00 e uma Coca e 2 litros, cujo preço foi de R$ 12,00 (DOZE REAIS).
Incrédulo disse: Não moça, foi apenas 1, e não um fardo de 6. Ela insisitiu: Sim, esse é o preço da unidade.
Retruquei: Você não sente vergonha de dizer que um refrigerante custa DOZE REAIS?
A atendente em sua fala robótica apenas disse que se eu não gostei deveria procurar a gerência.
Concordei e falei, quero conhecer o gerente que coloca o preço nisso.
Obviamente ele não estava disponível.
Considerações:
1. O primeiro erro foi o meu ao não olhar o preço do produto.
2. O primeiro erro não justifica o absurdo que alguns estabelecimentos fazem. Qual a justificativa para um refrigerante custar R$ 12,00?
Será que ele informa devidamente em seus balanços fiscais esse lucro? Imaginando que ele pague R$ 2,50 nessa garrafa, seu lucro foi nada menos do que 380%.
Fiz minha parte exigindo a Nota Paulista, bem como fazendo a reclamação, ah e também nunca mais voltando a esse lugar.
Greve na obra do Maracanã

Greve na obra do Maracanã

Toda essa Copa do mundo do Brasil me lembra uma piada de concorrência. Resumindo um japonês, um americano e um brasileiro concorrem para uma obra. O japonês diz que faz por 10 milhões, o americano por 20 mi e o brasileiro por 30 mi. E o comprador pergunta: ‘porque você acha que vai vencer cobrando 30 mi?’. O brasileiro responde: ‘são 10 milhões para mim, 10 milhões para você e 10 milhões para o japonês fazer a obra’. E o comprador fecha o negócio.

No Maracanã, os trabalhadores grevistas estão pedindo absurdos:

Vejam nessa matéria da Globoesporte as reivindicações dos trabalhadores do Maracanã são:

– Plano médico igual dos encarregados

– Aumento da cesta básica  p/ R$ 300,00

– Inspeção local para verificar insalubridade e periculosidade

– Adiantamento quinzenal de 40%

– Piso profissional

Todas reclamações legítimas ao meu ver. Vejam como é ridículo nosso país. Não basta apenas superfaturar nas obras públicas, ainda querem ganhar algum lucro em cima dos custos mínimos.

Nem no conceito do ‘rouba, mas faz’, que ainda assim é ridículo, existe mais.

Se fossemos adaptar a piada acima, seria algo como o japonês continua fazendo por 10mi, o americano por 20mi, e o brasileiro chega pro comprador e diz: ‘faço por 40mi, são 19 mi para mim, 19 mi para você e 2 milhões para um cara aí fazer a obra’.

Me parece que os grevistas conseguiram o primeiro item da lista que é o convênio médico e vigora a partir de Setembro. De resto, um aumento de 9,2% no valor da cesta básica, ou seja, dos incríveis 110 para 120 reais.

Segundo essa matéria recente na Folha sobre cestas básicas, o custo média da cesta básica no Rio de Janeiro é de R$ 256,91.

Como eles acham que já cederam muito e a greve continua, o Consórcio do Maracanã vai levar o caso ao Tribunal Regional do Trabalho, segundo essa matéria.

Na minha opinião, isso vai acabar bem simples. O consórcio vai falar que não tem mais dinheiro e vão forçar o governo federal a investir mais dinheiro público. O argumento vai ser de que a população apoia os trabalhadores e querem a Copa. O engraçado é que a população só tem poder quando convém.

No final não duvido nada que isso seja mais um grande golpe.

Análise de propaganda: Fiat / 35 anos de exploração

Análise de propaganda: Fiat / 35 anos de exploração

Indo na onde do amigo léo de an[alise de propagandas, trago essa da Fiat. É engraçado como algo pode ser tão redundante quanto esse slogam: “Fiat 35 anos – Movidos pelos brasileiros” É claro que é movido por brasileiros, afinal são os únicos suficientemente idiotas para pagar 30 mil num UNO “novo”, ou 23 mil no antigo. Queria ver a Fiat ser movida por estadounidenses. Essas tranqueiras que são feitas aqui nunca entrariam lá. Parabéns FIAT pelos 35 anos produzindo as carroças mais caras do mundo.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=cDaa7meTbv8]

O Soccer

O Soccer

Esses estadosunidenses são uma piada mesmo.

Com a extinção da liga oficial em 1984, só foram criar outra liga profissional de futebol em 1996, por conta da Copa do Mundo de 94, que foi nos EUA. O nome dela é Major League Soccer, a MSL.

Enquanto isso no Brasil, a Copa Libertadores da América se consagrava como objeto de desejo com as recém conquistas do Grêmio (1995) e bicampeonato do São Paulo (1992-93).

A piada não para por aí, os estadosunidenses resolveram implementar regras próprias para deixar o esporte mais ao estilo deles com cronômetro com contagem regressiva e com pausa em caso de bola parada. Outra invencionice foi um tal de Shoot-Out que servia para desempatar partidas no lugar do pênalti. Esse formato de jogada consistia no jogador de linha ficar com a bola a 35m do gol e ter 5 segundos para marcar, algo meio parecido com o futsal. Lógico que essas regras não vingaram e não existem mais, porque eles são muito amadoras.

Lá é tão amador que eles só dividem as regiões entre costa oeste e costa leste, e ainda tem que contar com times do Canadá para dar uma quantidade significativa de time.

No Brasil temos Norte, Sul, Centro-oeste, Sudeste e Nordeste. Copa Sul-minas, Rio-São Paulo. Série A, B, C, D. Paulista A1, A2, A3 e incontáveis séries.

Nos EUA eles usam um sistema amador que todos os times tem um teto de salário para, imaginem só, manter o equilíbrio financeiro entre clubes. Por isso, em 2006 criaram a Lei Beckham que permite que cada clube tenha 1 (um) jogador com salário acima desse teto. A partir dessa lei que o país norte americano trouxe jogadores como Beckham, Ljungberg, Thierry Henry e Rafael Marquez.

É muito amadorismo comparado ao futebol brasileiro e a Lei Pelé, que permite o êxodo de jovens talentos para o futebol estrangeiro, permitindo o enriquecimento dos empresários, chamados de Agentes Fifa, enquanto os clubes que investem e formam atletas não ganham nada e precisam de associações obscuras com investidores, que quando partem, quebram o clube quase que instantaneamente.

Vamos comparar a ridícula média desse povo que ama baseball, basketball, hockey e futebol americano nos estádios com a do Brasileiro:

Ano MSL Série A
2001 14961 11401
2002 15821 12866
2003 14899 10468
2004 15559 7556
2005 15108 13600
2006 15504 12300
2007 16770 17461

(O WordPress, faz um jeito mais fácil de inserir tabelas aqui!)

A partir de 2007, não temos todos os dados da MSL. O interessante é lembrar que nos últimos anos, alguns times como o Atlético MG trocam a entrada por uma embalagem de pacote de bolacha, só para conquistar o título de maior público. Então nada de reverter esses números em renda.

Vejam como o amador, mal-planejada e inexperiente MSL consegue um público maior que no país do futebol. Em 2004 eles tiverem somente o dobro do público brasileiro!

Em vista dessa evolução maravilhosa que nosso futebol tem passado, gostaria de agradecer ao nosso presidente da CBF, o Ricardo Teixeira, que está no comando da nossa confederação a mais tempo que a MSL existe.

Estou muito grato por ver a contribuição dele e dos seus apoiadores, desde o vice-presidente, passando por atletas, clubes, torcedores do Brasil e imprensa, por tirarem o máximo do proveito do futebol no nosso país, beneficiando nossa sociedade de todas as maneiras.

Obrigado!

Referências:

Master League

Campeonato brasileiro

Brasil, o melhor país do mundo para se investir.

Brasil, o melhor país do mundo para se investir.

Vocês, meus amigos, já devem ter lido essa matéria sobre tributação e financiamento sobre carro aqui no Aleatorica.

No dia de ontem, havia uma matéria no UOL sobre o Lucro Brasil das montadoras de carro.

Num exemplo, a Honda vende no México um carro produzido no Brasil por 15mil reais a menos do que pagamos por esse carro aqui no nosso país, já descontados os impostos de cada país. E ainda por cima a versão vendida aqui que usaram de referência tem muito menos opcionais.

Um aspecto interessante a observar é a posição do autor do post. Aparentemente ele não vê o  imposto de 35% como principal problema. O problema do Brasil seria o lucro das montadoras.

Ora essa, vivemos num sistema capitalista. Feliz aquele fabricante que tem alto lucro. Eu tenho certeza que um par de tênis de 600 reais também tem margem alta de lucro.

Mas pegando aquele cálculo daquele post Tributação Brasileira é ainda maior quando há financiamento, já likando acima, quando eu dizia que só 42% do dinheiro que você pagava era quanto valia o carro, então na verdade, com essas novas informações, seria muito diferente disso. Dos 42% destinados à montadora, 76% seria um lucro que só conseuguem no Brasil. No nosso cálculo de R$ 57200,00 apenas 28% do valor pagam o custo do carro mais o lucro mínimo da montadora.

Vamos ver mais uma vez um gráfico para chorarmos juntos:

Grafico2

Dos R$ 57200,00 apenas R$ 16000,00 seriam suficiente para comprar o carro.

Na verdade, para mim o que realmente é mais assustador, não acho que seja o alto lucro da montadora. Eu queria ter um lucro assim. O assustador é vermos como somos idiotas e aceitamos tudo isso.

Um carro custando 16 mil reais pararia a roda da economia? Não. Esse dinheiro vai e não volta. Talvez quebraríamos a catapulta de arremessar dinheiro fora.

Com esse números, conseguimos chegar a todas as desgraças da nossa economia, mas se eu começar a exemplificar agora, não conseguirei terminar o post. De imediato, só quero concluir que o Brasil é o melhor país do mundo para se investir. É só conquistar os idiotas!

Tributação Brasileiro é ainda maior quando há financiamento

Tributação Brasileiro é ainda maior quando há financiamento

Todo mundo sabe que o Brasil tem carga tributária alta.

Segundo essa matéria de 2010 http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL1553416-9658,00.html a tributação do carro é entre 2%7 e 40%.

Aí todo mundo pensa. “Poxa vida, um carro de 40 mil reais poderiam custar R$ 24 mil se não fossem os impostos”.

Mas pensava eu “Quantos brasileiros pagam um carro de R$ 40 mil a vista?”. Não conheço nenhum no meu círculo social.

Então qual é a real porcentagem que você paga de impostos sobre a compra de um carro? Eu tentei pesquisar. Mas é muito difícil.

Só consegui pesquisar que se você der R$ 15 mil de entrada num carro de R$ 40 mil. Você paga inicalmente R$ 41,2 mil pelo financiamento de R$ 25 mil quando dividido em 48x.

Ainda tem o IOF, que é o imposto sobre financiamento. O legal do IOF é que ninguém sabe como calcula. Outro dado interessante é que quando você compra um carro financiado, a Instituição financeira paga o IOF e te cobra como financiamento. Esse é um dos motivos que ninguém sabe direito calcular essa taxa no valor final.

Achei um site com data de 2004 que diz que o Banco paga 9,65% de imposto.

Portanto, arredondando porcamente já que a tributação Brasileira além de alta é obscura, cheguei a seguinte conclusão:

Quando você compra um carro de R$ 40 mil, entrando com R$ 15 mil e financiando o resto, você paga:

R$ 57200,00 no total. Sendo R$ 15mil de entrada + R$ 41,2 mil financiado + R$ 1 mil IOF.

Desse valor financiado de R$ 41,2 mil, são R$ 16,2 mil o valor que o Banco fica, mas ele paga aprox R$ 1,5 mil de imposto ao Governo.

25,7% é lucro do Banco/ Instituição financeira. (R$ 5600,00).

32,3 % é imposto. (R$ 17,600,00).

Ou seja. O carro de verdade, na fábrica só vale 42% do que você consumidor trabalhadfor está pagando.

Vejam nesses gráficos maneiros:
Grafico1

Total do valor que sai do seu bolso e que não vai para o produto que você está comprando:
Grafico2

Sei que não tem fontes e os dados são imprecisos, mas como disse, as próprias fontes são obscuras.

Ainda temos milhares de outras coisas como essa notícia fresquinha: http://blogs.estadao.com.br/jornal-do-carro/governo-quer-taxar-carros-a-gasolina/