Buscador
Categoria: Propaganda

Curiosidade do mundo da propaganda: Bolinhas de oxigênio

Curiosidade do mundo da propaganda: Bolinhas de oxigênio

Hoje em dia temos essas pastas de dentes e também os sabões e soluções para lavar roupa que contém as super bolinhas de oxigênio.

Mas vejam só:

Vocês sabem mais ou menos o que é o pH que é o quanto uma solução aquosa pode ser ácida ou alcalina. A escala vai de 0 muito ácido, até 14 muito alcalino. A maravilhosa água potável tem escala 7, ou seja, é neutra.

Segundo informações da wikipedia, algumas coisas são muito ácidas como café, cerveja e coca-cola.

Mas tá. E o que é ser alcalino? Ser alcalino é ser repleto de oxigênio. Vimos no link acima que o lado oposto da ácida Coca-cola estão as alcalinas Água Sanitária e Soda Cáustica. Lembrando que os sabões de pedra caseiros são feitos com gordura animal e soda cáustica.

Então na verdade essa maravilhosa propaganda de bolinhas de oxigênio, indicam nada mais nada menos do que um pH corrosivo altíssimo e compramos esses produtos como se fossem maravilhas da tecnologia moderna.

Análise de Propaganda: Nissan March

Análise de Propaganda: Nissan March

Na grande maioria das vezes, sempre que lançam novos modelos de carro, só mudam a grande frontal, as máscaras das lanternas e os retrovisores e já chamam de NOVO MODELO.

Vejam por exemplo o Sandero: modelo 2010 e modelo 2012 . Muito mais feio, diga-se de passagem.

Baseado nisso a Nissan provocou o mercado para lançar seu novo carro o Nissan March. Veja a propaganda abaixo:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=BWE_6QY0SCc]

Interessante, não é? Mas quero ver só quando lançarem o novo modelo do Nissan March lá para 2012/2013. Vamos ver se o feitiço virará contra o feiticeiro.

O Aleatorica está de olho!

Massas espertalhonas brasileiras

Massas espertalhonas brasileiras

Como temos vistos aqui nesse blog nas análises de propagandas, muitas de nossas propagandas brasileiras são destinadas aos espertalhões. Principalmente aos que se acham espertalhões.

E agora uma amostra de que os marketeiros estão corretos.

Que esporte é tão popular no Brasil? E que esporte o jogador simula pênalti e se consegue convencer, quem recebe a crítica é o árbitro e não o espertalhão enganador?

Sim. O futebol brasileiro é a síntese do nosso povo. Podemos concluir isso através desse excelentíssimo texto sobre futebol de Alexandre Barreto publicado por Juca Kfouri em seu blog.

Massas espertalhonas aparentemente são um ótimo público consumidor.

Telefonia Ilimitada

Telefonia Ilimitada

Como disse com razão meu bom amigo Tiago P, coautor deste blog, tudo que passa nos comerciais de TV são basicamente propaganda de três produtos: Veículos automotores, Telefonia e Bancos.

Por isso vou ter que mais falar do desgastante tema Telefonia.

É que eu reparei na palavra do momento das empresas de telefonia e ela é ‘ILIMITADO‘. Repararam que todo mundo é ilimitado agora e eles fazem questão de usar essa palavra?

Vejamos alguns exemplos abaixo – não incorporei os vídeos aqui porque marquei quando queria que começasse os vídeos:

Embratel: http://www.youtube.com/watch?v=S92ytpsMA6A&t=00m16s

Tim: http://www.youtube.com/watch?v=rml-2fA1TuI&t=00m03s

Vivo http://www.youtube.com/watch?v=rZH84DT-LKE&t=00m23s

Nextel http://www.youtube.com/watch?v=ykyHiXi3m4c&t=00m30s

Claro – Não irei fazer trocadilho com o nome – E a Claro também lançou uma propaganda falando de ilimitado, coisa e tal com o Marco Luque deslizando, mas eu ainda não encontrei vídeo da propaganda na internet.

Pois bem. Vemos que a palavra Ilimitada na propaganda de telefonia está deixando de ser uma cópia do concorrente para ser uma semântica da categoria de Telecomunicações.

O meu medo é: Quanto tempo vai demorar até essas grandes corporações deturpar o significado da palavra ‘ilimitado’?

Análise de propaganda: Vivo Sempre

Análise de propaganda: Vivo Sempre

Demorei para incluir essa análise porque não conseguia lembrar o nome dessa campanha da vivo que era “sempre”.

Então primeiramente devemos concluir que a campanha não surtiu muito efeito em mim. Ainda bem, porque vamos mais uma vez nos ‘surpreender’ com o público-alvo dessa campanha. São sempre 2 casos por propaganda:

Vivo Sempre 1

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=_agMTXcXPKo]

Caso 1: O chato. Se você é chato e liga para todo mundo de madrugada, Vivo sempre é para você.

Caso 2: Esse é o mais virtuoso de todos. É o nostálgico, aquele que foi arriscar sucesso profissional em outra cidade e sente saudades.

Vivo Sempre 2

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=7WkDqQRSZM8]

Caso 1: Para os cínicos mentirosos compulsivos.

Caso 2: Para os que vocês podem chamar de cafajeste.

Vivo Sempre 3

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=yxOo9fvjYGY]

Caso 1: A intrometida.

Caso 2: A fuxiqueira.

Vivo Sempre 4

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=d6ToUiEZx0s]

Caso 1: A intrometida, a mesma da propaganda acima.

Caso 2: A interesseira.

Conclusão final

O setor de Marketing da Vivo deve ter pesquisado o brasileiro de classe média baixa que utiliza celular pré-pago. Nessa pesquisa eles devem ter identificado 7 tipos diferentes de pessoas:

– O Chato

– O Nostálgico

– O Mentiroso

– O Cafajeste

– O Intrometido

– O Fuxiqueiro

– O Interesseiro

Sete. Sempre esse número místico. É triste ver que apenas 1 entre os 7 é uma personalidade considerada moralmente boa. Menos de 15%.

Mas e você? Qual desses você se considera?

Além de um grande número de propagandas usarem a linha do ‘seja espertão, se dê bem em cima dos outros’, conforme temos vistos nas nossas análises de propagandas, em uma das propagandas analisadas, a da Embratel,  será processada por propaganda ilegal.

Então, no final, o que as propagandas querem realmente dizer é: “Ei você, que quer se dar bem em cima de todo mundo – mas nós, grandes corporações, sabemos que és um babaca – nos de dinheiro em troca de nosso serviço/ produto – que nem é tão bom assim e todo mundo tem.”

Veja nossa análise da propaganda da Embratel Ilimitada aqui.

 

Repercutir e Ecoar: quem vem primeiro o ovo ou a galinha?

Repercutir e Ecoar: quem vem primeiro o ovo ou a galinha?

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=zL74Be_fKQs]

Repercutir é causar impressão generalizada, já ecoar é propagar em tempo e espaço longínquo. Dito isso, para repercutir algo, principalmente na internet, é preciso ser ecoado para todos os lados. Com isso, vem a pergunta: Porque cria-se tanta repercussão por algo que nem sempre é bem propagado?

 

Análise de propaganda: Bradesco e Itaú

Análise de propaganda: Bradesco e Itaú

Correndo o risco de ser chato, apresento para vocês mais um caso de falta de criatividade ou poder supremo do cliente que diz ‘Gostei daquele comercial, faça um igualzinho para mim, por mais que eu pague 1 milhão por mês só para vocês pensarem’.

Vejam esse finalzinho de uma das propagandas do Itaú:

http://www.youtube.com/watch?v=4senrjkCCso#t=0m26s

E vejam esse finalzinho de uma das propagandas do Bradesco

http://www.youtube.com/watch?v=QChpoEfUaLo#t=0m26s

E agora, quem é o idiota?

Não sei que foi o quem copiou quem e nem quero saber.

Isotônicos fazem realmente bem?

Isotônicos fazem realmente bem?

Não tenho nenhuma resposta científica para isso. Mas analisemos um fato:

Um dos patrocínios mais ridículos que existem na história do universo são os de Isotônicos no futebol. A Powerade entrou forte na concorrência desde a Copa do Mundo 2010.  Pelo menos aqui no Brasil, a marca que ela mais disputa é com a Gatorade. Sempre vemos ali na mão do massagista e espalhados pelas laterais do campo de futebol a garrafa de uma das marcas dos isotônicos.

Vocês já repararam como os jogadores jogam esses líquidos na nuca e na testa para se refrescar e como ele aparentemente tem cor transparente?

E também já repararam que interessante como que as garrafas utilizadas nos campos não são iguais as que encontramos no supermercado? Enquanto no supermercado as garrafas são de plástico transparente, no campo eles são de plástico sem transparência que impede visualizarmos aquela cor fosforescente.

Você atleta futebolista que joga de futebol que tem acesso a essas garrafas, por favor me desminta, mas tudo isso nos leva a concluir de que aquele líquido usado nos campos de futebol é na verdade água, enquanto pagamos R$ 3,00 por meio litro de água com sal e açúcar.

Fico imaginando se alguém realmente afirmar que é água e o público e a imprensa pressionarem as marcas por explicações. Eles diriam: “Nós simplesmente patrocinamos as garrafinhas de água, nunca dissemos que o líquido no interior dela eram nossos isotônicos”.

Análise de propaganda: Vivo/Estagiário

Análise de propaganda: Vivo/Estagiário

A Vivo lançou uma nova campanha para os celulares smartphones com internet. Para tanto, decidiram fazer duas propagandas: A vida do estagiário sem o celular com internet e a propaganda do estagiário com o celular com internet.
Usando o estagiário como protagonista, entendemos que a propaganda é voltada para quem tem baixa renda e está interessado em comprar o primeiro smartphone.
Vejamos agora a primeira propaganda, sem o celular:
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=JKsHfOw8els]
Vejam que maneira interessante de fazer o seu público identificar. Quando precisa de informação na internet, a primeira coisa que você faz é sair de dentro da empresa e ir numa lan house. Se você é um estagiário tão importante que precisa participar da reunião de planos de expansão, o mínimo que você deveria ter é uma mesa com computador com acesso a internet. Concluímos então que a propaganda quer dizer: “Ei, idiota, preste atenção!”
Então vemos a solução do caso, com a segunda propaganda, com o celular:
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=GT9_hMYPYn0]
Aqui vemos mais uma exaustiva vez o foco no “jeitinho brasileiro”. A propaganda quer dizer: “Você que não estudou e quer se dar bem em cima de quem tem anos de experiência, diversas graduações acadêmicas, copie alguma ideia na internet, vamos lá, é fácil”.
A conclusão sobre todas essas análises de propagandas é muito clara: Você que quer vender, faça o cliente achar que ele está se dando bem em cima dos outros. Mesmo que sua intenção é vender seu produto ou serviço para todas as pessoas do mundo, faça ele entender que só ele tem. Nas propagandas da Vivo vemos que quando o rapaz não tem celular com internet todo mundo tem. A partir do momento que ele tem, ninguém mais tem. Tudo isso conflitando com a música do Bob Marley de trilha sonora bem na parte ‘Lets get together and feel alright’, algo como ‘vamos ficar junto e tudo vai ficar de boa’.
O oposto desse pensamento individualista virou justamente a tendência da propaganda e do comércio na atual década dos anos 10, que são a propaganda viral via mídias sociais e a venda coletiva. Elas são opostos porque no viral, o consumidor fala para todo mundo ‘nossa é muito bom, eu gostei tanto que acho que você também deveria ter”. Na venda coletiva, o nome já explica, tem que juntar muitos para dar um desconto e todo mundo sai ganhando.
Mas aparentemente a propaganda focada pro ‘brasileiro espertalhão’ ainda funciona muito, sem contar na corrupção do marketing viral, já que hoje temos agências e profissionais especializados em ‘viralizar’ nas mídias socias, forçando a ‘curtição’ e tudo mais.