Sobre o aumento na tarifa do transporte público 3

Sobre o aumento na tarifa do transporte público 3

Arnaldo Jabor muda de lado: Amigos, eu errei. É muito mais do que 20 centavos. “Minoria de vândalos” são as palavras-chave da vez da mídia.

Quem usou o primeiro discurso dele como embasamento para o que pensa, deu com os burros n’água.

Além dele e com os grandes veículos de mídia tradicional apoiando, todo mundo se “engajou”. Agora virou cool.

O risco agora é descobrir que a maioria saiu do facebook só para dizer no facebook que ‘saiu do facebook’. Descobrir que saíram para tentar conquistar garotas: “I gave that bitch revolution. Bitches love revolution”.

Um ponto positivo é que energia para se manifestar existe. Outro ponto legal foi a falta de foco nos protestos, que legitimou a indignação generalizada do povo. Legitimou que não havia partidos, nem cabeças por trás disso.  Nunca sabemos as intenções dessas pessoas. O Lindberg Farias, líder da manifestação dos Caras pintadas de 1992, hoje é senador. E claro, como todo bom senador, foi acusado de algum crime.

Como disse o FHC sobre  o tema.  Esse é um movimento social e não político.

Agora falta à população adquirir essa cultura política. Senão, qualquer protesto, como por exemplo uma marcha de 10 pessoas do Movimento dos Bebedores de Sopa de Gonorréia, vai acabar reunindo 50 mil pessoas achando que é para o bem geral da população.

Hoje, dia 19 de Junho de 2013, em SBC, um movimento de 250 integrantes do Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto foi à prefeitura. Quem passou aos redores viu e o pessoal começou a se aglomerar. Certamente a maioria não sabia qual era movimento do MTST. Não vi ninguém falando sobre o tema ‘sem teto’.  O trânsito ficou ruim na região pelo menos das 8h30 da manhã até 23h00, principalmente porque a população da região foi pega de surpresa. Quem não aderiu às manifestações criou ainda mais antipatia.

Esse excesso de energia sem foco dispersa rápido e não é tão eficiente. Até que essa parte me convença do contrário, esse movimento passional, sem foco e nessa época do ano, vou chamar de Síndrome de falta de futebol, já que torcer para a seleção do Brasil não é cool e eles precisam se sentir parte de um grupo.

As pessoas agora precisam deixar de ir em manifestação de forma cega. Essa falta de questionamento do manifestante é possível de ser vista quando vemos nossos colegas de facebook compartilhando imagens e frases de celebridades nacionais e internacionais sobre o tema. Schwarzenegger, Jô Soares, Katy Perry, Pedro Bial e outros. Até onde consegui pesquisar são todas falsas. As mensagens são legais e estimulantes, mas não adianta você lutar contra a manipulação da imprensa quando se manipula pela internet. Se você não foi o manipulador, mas o enganado, não adianta sair de dentro da caixa e ir para outra, aí viram a mesma massa de manobra dos políticos, só que para outras pessoas que não sabemos o que querem de verdade. Lembrem-se do Lindberg citado acima – lembrando que por enquanto ele só foi acusado.

Dos poucos que vi se questionando sobre o MPL, vi alguns os chamando de “ladrões” que não querem pagar transporte público. Que “isso é roubo porque você tira de alguém” e que é só “ver no site” do que o movimento se trata. Então vi o site.

Na página de apresentação do site, existe um item:

6. Mas é mesmo possível pegar ônibus de graça?
não se trata de “ônibus de graça”, esse ônibus teria um custo, mas pago por impostos progressivos, não pela tarifa. o que a prefeitura precisa fazer é uma reforma tributária nos impostos progressivos, de modo que pague mais quem tem mais dinheiro, que pague menos quem tem menos e quem não tem não pague (impostos e taxas). distribuir melhor o orçamento público, separando uma parte para subsidiar o transporte, ao invés de gastar dinheiro em propaganda, corrupção e obras que não atendem às reais necessidades da população. o passe livre estudantil já é realidade no Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

É possível concluir que eles defendem que pessoas mais carentes paguem menos impostos sobre passagens do que outros. Assim como hoje é fieto com idosos e estudantes, também deveria existir para pessoas com baixa renda.

Teoricamente é legal. Mas tem que ser cobrado dos administradores um sistema correto e sem brechas. Não poderia herdar as falhas do Bolsa família, como mostra a matéria Parentes de autoridades, empresários e até mortos recebem Bolsa Família, aponta CGU.

Vitória

Ainda hoje, dia 19 de Junho, o MPL conseguiu sua primeira vitória. Revogaram o valor da passagem. Vão manter a R$ 3,00 por enquanto. Agora tem que se cobrar de onde está vindo esse subsídio de R$ 0,20 centavos. Se vem do nosso imposto, na verdade não resolve muita coisa. Segundo Alckmin, nessa matéria:

“Quero dizer que no caso do metrô e trem, nós vamos revogar o reajuste dado, voltando a tarifa original de R$ 3. É um sacrifício grande, vamos ter que cortar investimentos, porque as empresas não têm como arcar com essa diferença.”

Curioso! Como vimos no post anterior, no gráfico do Portal Terra comparando a evolução do preço do transporte público de São Paulo, o preço da passagem tem aumentado muito mais do que a inflação. Se as empresas não tem como arcar com a diferença, essa margem está indo para onde?

Se você gosta de gráficos comparativos com inflação, o NYTimes fez um muito bom sobre o Brasil. E, sim, está em inglês.

The Rising Cost of Living in Brazil   Graphic   NYTimes.com

Apenas vinte centavos

Alguns críticos ironizaram que manifestavam sobre  apenas 20 centavos, o que gerou até a contra campanha “Não são apenas 20 centavos”.  Antes da revogação da passagem, quando começaram as cogitações de se voltar o preço, segundo o próprio Haddad, esse subsídio de apenas R$ 0,20 por passagem totalizará R$ 8,6 bilhões até 2016. Interessante como o valor muda dependendo do ponto de vista.

E claro que se a população parar de fiscalizar, esse 8,6 bi vai duplicar e um vão por a culpa nos manifestantes de hoje.

Finalizando, uma coisa que quero revindicar é que, se jogos com armas criam criminosos, quero que todos os nossos políticos sejam viciados em sim city 2000.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.