Maluco caso da reintegração de Pinheirinho

Maluco caso da reintegração de Pinheirinho

De um lado o terreno, conhecido hoje como Pinheirinho, da empresa de Naji Nahas que deve R$14,6 mi de reais em IPTU. Naji Nahas é um investidor preso na operação Satiagraha de 2008 por crime no mercado financeiro e acusado de quebrar a bolsa do RJ em 1989.
Do outro, milhares de pessoas que invadiram um terreno e se apoderaram dele ilegalmente. Tudo indica que eles irão ganhar um auxílio moradia de 500 reais por mês cedido pela prefeitura e o estado.
O criminoso do colarinho branco cobra seu direito de ter de volta seu terreno. Os invasores são premiados por invadirem o terreno.
Costumamos apoiar os com menos recursos, mas se pensar bem nenhum dos lados estão certos. Mas aqui os dois lados amparados pelo Estado e pela justiça.
Vamos imaginar isso em menores proporções:
Uma pessoa de classe média sonega impostos e compra um carro. Essa pessoa fica 10 anos sem pagar licença e IPVA e o carro fica parado numa garagem para não ser apreendido. 5 pessoas invadem a garagem e roubam o carro e fazem uso dele diariamente. Depois de um ano a polícia recupera o carro e devolve para a pessoa. Alguma parcela da sociedade faz protestos no facebook por que as 5 pessoas ficaram sem carro para se locomover. O Estado e o município dividem vale transporte para essas pessoas. O Estado desconta 1 ano de IPVA e licença do carro da dívida do proprietário original.
Não é maluco?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.