Educação alimentar: Jamie Oliver x McDonalds

Educação alimentar: Jamie Oliver x McDonalds

Depois do meu período de férias, retorno a esse amável blog com um tema muito polêmico referente a educação alimentar e a sociedade.

Rolou alguma matéria na internet de que o McDonalds, após as denúncias de Jamie Olivier, vai retirar o hidróxido de amônio de sua receita de carne. Isso é muito bom porque finalmente podemos comer um lanche saudável nessa grande e global rede de lanchonetes. Na verdade o responsável pelo processamento da carne na América Latina afirma que nunca usou essa química no alimento.

Lendo essa matéria e lembrei de um cozinheiro que mostra para umas crianças como é feito o nuggets. Esse cozinheiro é Jamie Oliver. Vejam o vídeo em inglês abaixo:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=pPnKxWvPM6o]

Um monte de pessoas começaram a ficar com nojo e reclamar após ver esse vídeo. Mas se você não sabe inglês, veja nos últimos cinco segundos de vídeo após o famoso chef pergunta quais das crianças querem comer o nuggets que ele fez, quantas crianças levantam a mão.

E sendo as crianças os únicos seres espontâneos e sinceros no mundo, vemos quem está errado. E se você não conseguiu concluir quem está errado, são os mesmo que criticam essa bela rede de alimentos que é o McDonalds.

Esses caras que reclamam do McDonalds e ficam criando campanhazinhas contra são os mesmos que reclamam da falta de alimento no mundo. E o que o McDonalds fez? Criou um super sistema de aproveitamento de carne num sabor delicioso.

Sabe o que é pior ainda? Esses caras que reclamam do McDonalds  e ficam criando campanhazinhas contra são os mesmos que nem se importam com a falta de alimento no mundo. Enquanto o McDonalds criou um super sistema de aproveitamento de carne num sabor delicioso. Cerca de 20% dos alimentos comprado é desperdiçado pelo consumidor final.

Comentando sobre isso com um bom amigo meu, ele fez a correta comparação com o povo que cobram atitude do governo nas enchentes, mas são os mesmos que elegem os governadores e principalmente os que despejam sofá, pneus e garrafas pets nas ruas e nos rios.

7 thoughts on “Educação alimentar: Jamie Oliver x McDonalds

    1. Não tenho filhos, Bruno, mas veja: minha falecida vozinha já me fez muita canja de galinha feita com carcaça de frango igualzinha essa do vídeo e já me fez muita galinha cozida pra comer com polenta que vai a pele do frango. Não quero dizer que o alimento não faz mal, mas apenas que ele pode não ser muito diferente da comida da feita em casa, da vovó. Então porque o foco de ódio contra a instituição Mcdonalds? De nojento na comida não há nada que alguém com mais de 25 anos já não tenha comido preparado de outra maneira.

  1. Sua avó, algum dia, lhe deu um Mclanche Feliz ? Duvido!
    A sopa dela, feita com carcaça de frango e pele, era mt mais saudável que essa porcaria de sanduíche com batatas fritas, que os pais (preguiçosos) amam dar aos seus filhos. Assim como as papinhas prontas. Têm crianças que nunca viram uma banana e sim um pote de papinha de banana!

    1. Oi, Georgia,
      Na verdade eu também usei a comida da vovó como referência de comida boa. Minha crítica é quanto à crítica que fazem à fabricação de nuggets e mortadelas que usam ‘restos’ e ‘miúdos’ de animais, mas na verdade a humanidade sempre se alimentou disso sem o menor problema.

  2. Se o McDonalds é uma “bela rede” que aproveita os alimentos em um sabor fantástico evitando o desperdício, porque ele custa tão caro? Os componetes químicos tem sim interferência negativa em nossa saúde… e eles não estavam presentes na dieta da vovó. Todo o texto é muuuito senso comum, falta um mínimo de análise crítica. Pode-se começar assitindo o documentário “Super size me – A dieta do palhaço” pra saber do que a “bela rede de restaurantes” é capaz, com seus milhões de dólares e seu bombardeio propagandístico.
    Por fim, não há nada tão descabido quanto a comparação com as pessoas que jogam garrafas pet no rio e reclamam do governo…aff

    1. O McDonalds custa caro porque os nossos conterrâneos aceitam pagar caro por ele. Nos EUA, por exemplo, o preço é bem inferior ao daqui tanto em comparação absoluta, quanto proporcional à renda do trabalhador.
      Veja bem, esse texto foi escrito em janeiro de 2012 e não segue a onda atual de indignação do tríplice tema Jamie Oliver – McDonalds – Hidróxido de Amônio. Apesar disso não ser o tema principal do texto, fiz um rápido comentário sobre isso: “o McDonalds, após as denúncias de Jamie Olivier, vai retirar o hidróxido de amônio de sua receita de carne. Isso é muito bom (…)”. Veja que não me estendi muito no comentário, porque acreditei que fosse realmente um “senso comum” que produtos químicos façam mal a saúde, principalmente se ingeridos em grandes quantidades. Não tinha mais o que dizer sobre isso, só se eu fosse um químico alimentício. Se você quiser se aprofundar no assunto, na época vi um cara falando que as pessoas estavam confundindo hidróxido de amôniO com hidróxido de amôniA, um realmente faz mal e o outro é comumente usado na indústria de alimentos. Não chequei a informação. Nem sei se existe as duas variações. Tem até no comentário acima um outro cara falando que não faz mal.
      O intuito verdadeiro do texto é criticar diretamente quem acha nojento que nuggets do McDonalds contenham pele e carcaça de frango na receita, sendo que esses componentes sempre foram usadas em diversas culinárias do mundo, inclusive a nossa brasileira, inclusive as deliciosas comidas que a minha vovózinha preparava e provavelmente a sua. O texto critica diretamente pessoas que cresceram comendo nuggets e não comem mais porque descobriram a receita.
      Se você analisar mais a fundo, o texto critica quem protesta e se indigna com o que está na moda. Perceba que essa guerra do Jamie Oliver tá rolando faz bem mais de 1 ano, mas só agora as pessoas resolveram se indignar no facebook e pesquisar sobre isso. Um monte de gente se indignou, mas não vi ninguém se questionando se a informação é verdadeira e se alguém confirmou e/ou comprovou que o hidróxido de amônio realmente faça mal. E digamos que realmente o hidróxido de amônio faça mal e não vamos mais comer no McDonalds em forma de protesto, porque ninguém pesquisa se as outras indústrias de alimento também usam isso? Por que ninguém se interessa em saber se outros alimentos contém o produto? Talvez até o açougue da esquina de casa use. Vão protestar só contra aquela empresa que deram de mão beijada para gente protestar? É essa falta de questionamento das pessoas que esse texto critica sutilmente: “Já que me falaram que é ruim, vou ficar indignado, se ninguém falar nada, está tudo bem!”. É o caso do nuggets. “Enquanto eu não sabia a receita, comia e achava delicioso. Agora que eu sei o que é não quero mais!”. Por que as pessoas precisam ver Super size me para saber que Mcdonalds faz mal!? Por que as pessoas precisam ver como o nuggets é feito para decidir não comer mais?
      Acho que faltou você não esperar que eu fosse falar do tema hidróxido de amônio em si, para aproveitar mais do post.
      Abs.,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.